Museu Histórico

A idéia em torno do projeto de organizar o Museu foi lançada no dia 18 de março de 1.985, com a colaboração da Universidade Estadual de Ponta Grossa. O primeiro passo concreto visando conscientizar a comunidade de sua participação no resgate cultural foi dado no dia 19 de março de 1985, através de uma gincana cultural, onde cada equipe resgatava objetos e doavam ao acervo representativos da história do Município. O Museu foi aberto ao publico no dia 21 de março de 1.986, com exposições de fotos e doações da comunidade. Pela Lei n.° 1.104 de 14 de outubro de 1.986, ficou o Poder Executivo Municipal autorizado a denominar de Museu Histórico Desembargador Edmundo Mercer Júnior, inaugurado em 03 de abril de 1.987.

O Prédio

O Museu Histórico está instalado no prédio do antigo Forum Municipal. Neste mesmo local havia um prédio, que foi adquirido pela Prefeitura Municipal em 05 de março de 1.905, para as instalações do Paço Municipal, Delegacia e Cadeia Publica. Prédio este demolido em 1949 e no mesmo local construído um moderno edifício para abrigar as instalações do Forum, ficando até o ano de 1.983. No ano de 1.985 passou a abrigar as instalações do Museu Histórico em termo de comodato do Município com o Estado. O Prédio foi restaurado, conservando suas características.

O Acervo

O acervo do Museu Histórico Des. Edmundo Mercer Jr. é constituído por um número expressivo de objetos que documentam a história do Município de Tibagi. Podemos admirar, nesse valioso acervo, peças originais que pertenceram a outros ilustres tibagianos com relevo na vida pública do Estado.O Museu Histórico Desembargador Edmundo Mercer Jr. abriga um rico acervo de mais de 5.200 peças, uma sala multimídia e uma sala de exposições rotativas, além de apresentar salas temáticas que contam o ciclo do diamante, a história dos tropeiros e dos profissionais que passaram por Tibagi. A sala dos costumes, de arte sacra, dos índios e da tecnologia compõe a ambientação proporcionando uma grande viagem à história do município e dos Campos Gerais.

Serviços e eventos:

Atualmente, o Museu Histórico oferece trabalhos desenvolvidos em pesquisas e exposições temporárias.

Horário de visitação:

De terça a sexta, das 8h ás 11:30h das 13:00h ás 17:30h
Sábados e domingos das 9h as 11:30h das 13h30h ás 17h
Feriados sob Agendamento
Livre de ingresso
Grupos com mais de 30 pessoas devem realizar agendamento prévio.

Agendamento de visitas:

Telefone (42) 3916-2189
Endereço: Praça Edmundo Mercer, 52 – Centro
CEP 84300-000 – Tibagi – Paraná
[email protected]

Palácio do Diamante - Prefeitura Municipal

Palácio do Diamante, atual sede da Prefeitura Municipal, é uma construção da década de 30, encomendada pelos Padres Redentoristas. A casa foi projetada pelo construtor civil alemão Dr Max Staudacher, nascido na cidade de Aslen Wurtemberg, Alemanha. Com arquitetura eclética, abrigou por 50 anos os padres seminaristas e foi objeto de permuta entre a diocese de Ponta Grossa e o Poder Executivo desta cidade, para que nela fosse instalada a Prefeitura do Município de Tibagi.

É aberta para visitação mediante agendamento prévio pelo telefone 0800 643 1388, para grupos de no mínimo 30 pessoas.

Praça Edmundo Mercer – centro
(42) 3916-2200
www.tibagi.pr.gov.br

Casa da Cidade

A Casa da Cidade, construção histórica localizada na Praça Edmundo Mercer, passou por uma revitalização e foi reinaugurada em março. O prédio passou a abrigar o Departamento de Cultura e o Conservatório Municipal, mas já foi sede de muitas outras iniciativas no município. Para contar um pouco sobre esta passagem, o Museu Histórico Desembargador Edmundo Mercer Junior juntamente com a Assessoria de Comunicação da Prefeitura, através da coluna de fatos históricos, Aconteceu!, foi resgatar essa história.

No ano de 1916 O Coronel Telêmaco Borba, então prefeito de Tibagi baixou um decreto desapropriando um terreno dos padres estigmatinos, para nele ser construído o Mercado Municipal. A obra logo se iniciou, mas devido a acontecimentos posteriores jamais foi terminada e usada para a finalidade a qual se pretendia. Anos mais tarde, em 1938, a administração do Dr. Edmundo Mercer Junior reconstruiu e adaptou o prédio para que nele fosse instalada a Prefeitura Municipal de Tibagi e a Câmara Municipal. “Na época, a demanda de espaço era muito menor, e os dois poderes dividiram o mesmo prédio durante muitos anos”, destaca o diretor do Museu Histórico Desembargador Edmundo Mercer Júnior, Nery Assunção.

Somados aos dois poderes, a estrutura abrigou a partir de 1984 os ensaios da primeira formação da Banda Municipal de Tibagi, que funcionava em uma sala nos fundos do prédio. O primeiro maestro, José da Cruz Machado, organizou os primeiros trabalhos e mais tarde a banda levaria seu nome em reconhecimento a este esforço. No mesmo prédio funcionou na década de 80 a primeira agência do Banco do Brasil, em espaço cedido pelo executivo municipal. No ano de 1996, a Prefeitura adquiriu o prédio onde até hoje funciona a sede do executivo, que era o antigo mosteiro dos padres redentoristas, reformou e adaptou a estrutura para receber o que se tornou o Palácio do Diamante. A Casa da Cidade continuou abrigando alguns departamentos do executivo e o poder legislativo. Em 2007, a Câmara de Vereadores inaugurou sua sede própria, e deixou o prédio para ocupar nova sede da secretaria de Finanças, finalmente destinando a Casa da Cidade integralmente ao Departamento de Cultura do município, onde são ofertadas gratuitamente aulas de dança, música, pintura e banda escola à comunidade tibagiana.

A Casa da Cidade, construção histórica localizada na Praça Edmundo Mercer, passou por uma revitalização e foi reinaugurada em março de 2014. Construída originalmente como Mercado Municipal, o prédio abrigou a Prefeitura Municipal e a Câmara de Vereadores. Passou então a abrigar o Departamento de Cultura e o Conservatório Municipal.

Praça Leopoldo Mercer- Centro
(42) 3916-2187
www.tibagi.pr.gov.br

Caixa D'água

O local da construção, em frente ao Clube Estrela da Manhã, foi escolhido por ser próximo ao centro da cidade e devido às inúmeras minas d’água de excelente qualidade da região. Parte dessa água era direcionada ao sistema de tratamento, que depois de ‘potabilizada’ era bombeada até o reservatório central que ficava onde atualmente está o fórum, na Rua Frei Gaudêncio. Dali a água era distribuída para a população da cidade. “A famosa caixa d’água por muitos anos ficou na lembrança dos tibagianos”, acentua Assunção. A Sanepar assumiu oficialmente o Sistema de Abastecimento de Água de Tibagi em 5 de março de 1975, por meio do contrato de concessão nº 145/75. No início o tratamento da água acontecia na ‘prainha’, no lugar onde anos mais tarde foi instalada a antiga piscina pública.

Em 1978, a Sanepar construiu um novo reservatório no ponto mais alto da cidade na Chácara Nequinho que também passou a receber água tratada da ‘prainha’. Em 1980, com o crescimento da cidade, a unidade de tratamento de água da prainha foi desativada com a inauguração da nova Estação de Tratamento que foi construída ao lado do reservatório na Rua Coronel Espírito Santo / Chácara Nequinho, endereço atual da Sanepar de Tibagi. Em 1985, a companhia assumiu os sistemas de abastecimento de São Bento do Amparo e Caetano Mendes. Em novembro de 2006, também assumiu o sistema de Alto do Amparo.

Rua Coronel Telêmaco Borba – Centro

Biblioteca Pública Municipal

A biblioteca pública é o centro de informações da comunidade, ela serve de lugar para a comunidade se encontrar, conversar, trocar informações, saciar curiosidades, ampliar conhecimentos, instruir-se ler livremente. Ela é do público e por ele deve ser freqüentada. No entanto, para atender seus usuários, a biblioteca pode valer de diversos recursos, buscando a informação em outros locais ou orientando seus leitores nessa busca. Poderá também orientar o pesquisador sobre o local onde se encontra o documento de que precisa, como deverá atender todos que a procuram, independente do nível de instrução ou camada social. Mesmo com as desigualdades sociais não superadas, o acesso aos livros e a leitura fortalecerá a capacidade de cada cidadão no futuro, construindo uma sociedade mais justa e igualitária.

Rua Ana Beje- Centro em frente a Pç Edmundo Mercer, 256
(42) 3916-2199
[email protected]

Igreja Matriz

Um dos ícones da cultura tibagiana é a devoção à Nossa Senhora dos Remédios que fica evidenciada num dos prédios históricos mais belos da cidade. A Igreja Matriz, localizada na praça central de Tibagi, completou 70 anos, sendo inaugurada no dia 20 de junho de 1943, e compõe o enredo da coluna de fatos e curiosidades, Aconteceu!.

A Paróquia Nossa Senhora dos Remédios foi criada em 6 de março de 1846 e teve o Padre Frei Gaudêncio como idealizador da segunda fase da Igreja Matriz no ano de 1851. Em 1934 teve início a terceira e atual fase da construção da igreja. Para sua conclusão e inauguração levaram-se nove anos. No ano de 1934 chegava em Tibagi a Congregação do Santíssimo Redentor dos Padres Redentoristas tendo a frente o Pároco Padre Francisco Dotzler. Por sua determinação é iniciada a construção da atual Igreja Matriz.

“De acordo com fotos do Museu, a Igreja foi construída aproveitando as paredes laterais da antiga e erguendo duas torres na frente da igreja”, explica Nery Assunção, diretor do Museu Desembargador Edmundo Mercer Junior. “No museu estão disponíveis vários registros fotográficos e escritos históricos que narram essa passagem da nossa história”, relata.

Inauguração

No dia 20 de junho de 1943 durante festa solene à Nossa Senhora do Perpétuo Socorro foi inaugurada a nova Igreja Matriz de Nossa Senhora dos Remédios. Para celebrar a data uma programação especial foi preparada e iniciou com uma missa às 6h30 e outra às 7h30 com comunhão geral de todos os fiéis. Às 11 horas os sacerdotes se reuniram na Casa Paroquial para iniciar uma procissão até a Igreja Matriz com a participação das associações religiosas, autoridades civis e demais fieis.

Chegando à Igreja o vigário Padre Arthur Linch abençoou as novas instalações, cortando a fita de inauguração na porta e em seguida começou a missa solene. “Os festeiros se colocaram no lugar de honra à frente com igreja lotada e o sermão do padre foi sobre a nova igreja matriz”, conta o diretor. As barraquinhas festivas foram montadas em frente da Igreja Matriz com jogos e diversão para comunidade, além do tradicional leilão de prendas. O encerramento foi realizado com queima de fogos e bênção solene após uma grande queima de fogos em louvou ao novo templo de Nossa Senhora dos Remédios.

Festeiros

Os responsáveis pela festa foram Cacildo Baptista Arpelau, de Monte Alegre, o advogado Dr. Laurentino B. Mercer, o promotor Dr. Aristeu Santos Ribas, o comerciante Afonso Larocca, da empresa Força e Luz estava Ernesto Kugler, o comerciante da comunidade de Lavras Evêncio Ferreira, o fazedeiro Godofredo Barbosa Ribas e o juiz da Comarca Dr. José Pacheco Junior.

Praça Leopoldo Mercer - centro

Casa do Colono

Foi inaugurado em 18 de março de 2.003 juntamente com o Parque Ecológico Passo do Risseti. Mais uma opção de lazer aos tibagianos e turistas que visitam o município e que gostam de estar em contato com a natureza. Um belo lago, parque infantil, trilhas para caminhada e a Casa do Colono compõe esse espaço de natureza e história. O museu mostra os costumes de imigrantes europeus e da atividade tropeira. A casa foi construída no início do século XX e mantém traços da arquitetura daquele país e objetos também do início do século passado. No dia 24 de setembro de 1.926, Orlando Pinto e sua esposa Mathilde Cidreira Pinto venderam meio alqueire de terra, à margem direita do arroio São Domingos. A compra foi feita pelo casal de ucranianos Miguel Klempons e Anastácia Klempons adquirindo a área por 500$000. Ainda neste ano, os novos compradores iniciaram a construção de uma casa, seguindo os traços ucranianos com um paiol de curtume e sapataria.

Em 15 de fevereiro de 1.937, Klempons obrigou-se a vender a propriedade por motivo de dívida e ação hipotecária. Na época foi vendido por três contos de réis. Joana Maria de Oliveira e seu esposo João José Rissetti adquirem novas terras, antiga olaria, totalizando uma área de três alqueires. Conta a história que Rissetti, emprestava dinheiro a juros e possuía casa de comércio em Ventania e Caetê, além de administrar em Tibagi o curtume e sapataria em sociedade com Bulek, que entrava com o serviço de mão-de-obra. No dia 8 de fevereiro de 1.952, Joana já viúva de João José Risseti vende a área de três alqueires com a casa de moradia, paiol e curtume rudimentar para Miroslau Javorski por Cr$ 15 mil cruzeiros. Miroslau continuava a trabalhar com o curtume em sociedade com seu irmão Iaroslau Javorski.

Na década de 80, Miroslau desativou o curtume e a casa efetuou outros serviços até mais tarde se tornar o museu do Colono.

Parque Passo do Risseti
(42) 3916 2189

Centro de Informações Turísticas

A chegar em Tibagi, o turista deve visitar um dos Centros de Informações Turísticas. Desta forma, além de possibilitar à Secretaria de Turismo a continuidade das pesquisas de demanda e um controle estatístico da visitação no município, o turista recebe o Guia do Turista em Tibagi, e se informa de serviços, atrativos e regras de segurança para uma viagem tranquila e proveitosa. São 5 pontos, além de um telefone para atendimento integral. Ao visitar o Centro de Informações Turísticas (SETUR) concorra a prêmios.

Disk Turismo

0800 643 1388 (ligação gratuita)
Centro de Informações Turísticas (SETUR).
Rua Herber Mercer, 300. Centro – Tibagi - Ao lado do portal.
Fone 42 -3916 – 2150
Aberto todos os dias, das 08:00 às 11:30 horas e das 13:00 as 17:30 horas.
Feriados e Finais de Semana das 08:30 horas as 11:30 horas e das 13:00 as 16:00 horas.
Sala de reuniões, sala de vídeo, materiais e guias turísticos.
* RECEPTIVO PARA GRUPOS.

Ponto de Informações Turísticas do Parque Estadual do Guartelá

Parque Estadual do Guartelá – Tibagi
Fone: 0800 643 1388
Aberto de Quarta a Domingos, das 08:00 horas às 16:00 horas(para inicio de descida da trilha).
Parque Estadual do Guartelá Fechado na Segunda e Terça.

Ponto de Informações Turísticas do Museu Histórico

Praça Edmundo Mercer Jr. Centro – Tibagi.
Fone: 0800 643 1388
Aberto de Terça a Domingo, inclusive feriados, das 8:00 ás 11:30 e das 13:00 ás 17:30hrs
Sala multimídia, espaço para eventos, sala de exposição
* RECEPTIVO PARA GRUPOS

Centro de Informações de Turismo do Barreiro

Estrada do Barreiro – vilarejo central, ao lado do Bar Barreiro.
Fone: 0800 643 1388
Anexo ao Centro de Serviços do Barreiro
Aberto sábados e domingo, inclusive feriados, das 09:00 às 17:00
Sala multimídia, biblioteca.