× Fechar menu
Licitação ao vivo
, clique aqui
Prefeitura Municipal de Tibagi

Primeiro grupo de escoteiros em Tibagi data de 1937

 Primeiro grupo de escoteiros em Tibagi data de 1937
ACONTECEU
Primeiro grupo de escoteiros em Tibagi data de 1937


O Grupo Escoteiro Machadinho, que neste sábado (19), recebe da Prefeitura de Tibagi um espaço reformado para sua nova sede, tem o início de sua história em 1993. Muito antes disso, em 1937, era iniciado o primeiro grupo escoteiro de Tibagi. Para contar um pouco sobre este movimento, o Museu Histórico Desembargador Edmundo Mercer Junior juntamente com a Assessoria de Comunicação da Prefeitura, através da coluna de fatos históricos, Aconteceu!, foi resgatar essa história.





No ano de 1937, o Tenente Maximiano Vicente Pereira organizou pela primeira vez um grupo de escoteiros em Tibagi. O grupo era formado inicialmente por 48 meninos da cidade, tendo como presidente o então Juiz de Direito Doutor José Pacheco Junior. Para suas atividades e acampamentos, os escoteiros usavam um terreno nas proximidades da residência do senhor Napoleão Barbosa (hoje casa de dona Oneida Pereira).





Os primeiros escoteiros foram, entre outros: Eugenio Santos, José Tibagy de Mello (Zezito), Argemiro Carvalho, Cassemiro Assunção (Corneteiro), Luiz Larocca, Ezidio, João Taques Martins (João Bigode), João Epaminondas Jr., Rubens Souza (Bibe), Lili da Baiana, João Ludjero, Javer Martins, Mano Martins, Neto Pacheco, Renato Taques, Verney Magno, Rubens Machado, Edivaldo Barnert, Martimiano Teixeira, Juquinha Taques, Nelito Ribas, Enéas Ludjero, Ari Ludjero, Durlindo Pinto (Quiro) e Bebé Campos. Pertencente ao primeiro grupo escoteiro, Dr. José Tibagi de Mello (Zezito) ainda possui como recordação uma cinta do seu uniforme.





Mas os trabalhos desenvolvidos junto aos jovens foram interrompidos alguns anos depois. Passados 56 anos, no ano de 1993 o movimento escoteiro foi organizado novamente, tendo à frente o senhor Solismar Gasperin, que junto a Angela de Souza formaram um grupo de aproximadamente 25 membros. Nesta época, as atividades eram na Praça Leopoldo Mercer e Ladeira da Nhá Cota, e mais tarde a Prefeitura cedeu como sede uma antiga escola na localidade de São Domingos.




Nesta época, o grupo passou a ser denonimado de Grupo Escoteiro Machadinho, permanecendo em atividade até o ano de 1998. Novamente interrompidas, as atividades do Grupo Escoteiro Machadinho foram retomadas em 2014, contando com aproximadamente 40 alunos, dirigido por membros da antiga formação. As reuniões do Grupo Escoteiro são realizadas aos sábados às 14 horas no Centro de Eventos (Horto Florestal), e a partir deste domingo passam a acontecer na nova sede, junto ao Parque Passo do Risseti.






História


O Escotismo, fundado pelo lorde inglês Robert Stephenson Smyth Baden-Powell, em 1907, é um movimento mundial, educacional, de voluntariado, apartidário, sem fins lucrativos. A sua proposta é o desenvolvimento do jovem, por meio de um sistema de valores que prioriza a honra, baseado na Promessa e na Lei escoteira, e através da prática do trabalho em equipe e da vida ao ar livre, fazer com que o jovem assuma seu próprio crescimento, tornar-se um exemplo de fraternidade, lealdade, altruísmo, responsabilidade, respeito e disciplina.

O Dia Mundial do Escoteiro é celebrado no dia 23 de abril em homenagem ao padroeiro dos escoteiros, São Jorge. São Jorge é conhecido como um santo guerreiro, uma vez que ele foi soldado de cavalaria, e logo cedo ficou conhecido por sua bravura. Baden-Powell foi quem escolheu São Jorge para ser o padroeiro dos escoteiros, por considerá-lo um modelo a ser seguido, pois São Jorge "fez o melhor que pode e, conseguiu superar uma dificuldade que ninguém ousara enfrentar".



QUEM FOI MACHADINHO?

Antonio Machado Ribeiro nasceu em Cotia, província de São Paulo, filho de Ignácio Machado da Silva. Casou-se com Josefa Cardoza, natural de Sorocaba/SP e desse casamento nasceram: João Machado Cardoza, Antonia Cardoza, Anna Cardoza “Ana Bege”, Maria Cardoza, Manoel das Dores Machado.

Machadinho era compadre de José Felix da Silva, posseiro da Fazenda Fortaleza, e com ele empreendeu várias batalhas contra os índios que habitavam a Fazenda, no propósito de tornar-se o único proprietário das terras. Nas lutas travadas contra os índios caingangues e coroados pela posse das terras a margem direita do Rio Tibagi, Machadinho teria perdido seu filho mais velho, João Machado Cardoza e muitos escravos.

Já se considerava estabelecidos em suas terras, quando seu compadre José Felix da Silva, que era um homem de prestígio, fez incluir na sua carta de sesmaria as terras do incauto compadre. Machadinho, com idade já avançada, mas ainda valente e destemido, juntou o que restava e com sua família, poucos escravos e alguns animais, passou para margem esquerda do Rio Tibagi, fazendo sua casa bem no lugar onde já havia alguns ranchos de mineiros.

Com medo que seu compadre viesse tomar novamente suas terras, Antonio Machado Ribeiro tratou de legalizar a sua nova posse, trazendo de Castro o escrivão e o porteiro de Juízo para lavrar o documento em 28 de junho de 1794, tornando-se o fundador da cidade de Tibagi. Antonio Machado Ribeiro faleceu em Tibagi a 28 de agosto de 1809.


Texto: Assessoria de Comunicação e Nery Aparecido Assunção
Pesquisa: Nery Aparecido Assunção
Arquivo: Grupo Escoteiro Machadinho
Acervo: Museu Histórico Des. Edmundo Mercer Jr
Arquivo: Grupo Escoteiro Machadinho
Fonte: Teu Nome é Historia – Nylzamira Cunha Bejes

Galeria de fotos


Compartilhe nas redes sociais: