× Fechar menu
Licitação ao vivo
, clique aqui
Prefeitura Municipal de Tibagi

Prefeitura assina convênio com projeto Lama da UEPG

Projeto prevê instalação de duas unidades de referência em produção agroecológica e duas em produção de leite, além da assistência a pequenos produtores

A Prefeitura firmou convênio com o Laboratório de Mecanização Agrícola (Lama), da Universidade Estadual de Ponta Grossa (UEPG), nesta terça-feira (02), com a assinatura do termo pelo prefeito Rildo Leonardi durante encontro com técnicos da UEPG, Secretário Municipal de Agricultura, Walmar Eidam, presidente da Câmara Municipal, Enio Antunes, e os vereadores Cila Pavesi e Elizeu Cortez. Na ocasião o projeto foi detalhado pelos técnicos da universidade. O convênio prevê ações para o desenvolvimento rural sustentável no município e a instalação de duas unidades de referência em produtos orgânicos e duas de produção de leite em pasto.

O prefeito, que vem de uma família de pequenos produtores, classifica como “justa” a adesão ao convênio. “Minha família sempre trabalhou com a produção de hortifruti granjeiros e hoje em dia trabalha na produção de leite. Eu vejo de uma forma muito justa. Nossos pequenos terão a oportunidade de garantir o desenvolvimento de suas propriedades”, diz Leonardi.

O professor Pedro Henrique Wirich Neto é um dos coordenadores do Lama e explica como funcionará o projeto em Tibagi. “A gente tem um laboratório na universidade que, há algum tempo já, trabalha com a parte de agricultura familiar. 70% da nossa agricultura hoje são pequenos produtores, com pouca área, e que vem sofrendo com o estilo de condição de exploração que a gente vê nos últimos anos. O laboratório criou algumas alternativas a isso, como o sistema agroecológico e a de produção de leite. Existem alguns sistemas, até de alta tecnologia que, que são de baixo custo e caem perfeitamente nesse tipo de produtor”, explica Neto.

O secretário da pasta conta que o projeto foi estudado devido a demanda de produtores locais, que terão toda a assistência prestada. Ele também explica sobre como ficarão distribuídas as unidades de referência. “Elas estão estrategicamente bem colocadas no município para que todos os produtores do município tenham acesso a essas áreas de referência. Nessas unidades a gente vai fazer dias de campo, para que os produtores daquela região tenham conhecimento destas novas técnicas e daí então cada um vai desenvolvendo a sua propriedade com o apoio da universidade. Os técnicos da universidade irão fazer visitas, vão mapear a propriedade. Então vai ser um trabalho assim, bem completo mesmo, para todo o município”, garante Eidam.

O produtor Zezinho, do Rancho Alegre, participou da apresentação do projeto e aprova a atividade. “Principalmente para nós que vivemos no meio rural, pequena propriedade, esse projeto que vem é muito importante. Porque se a gente não tiver essas prioridades, esses incentivos, jamais a gente vai conseguir manter a propriedade. E no nosso caso, que já trabalhamos com produto orgânico, já é mais uma ferramenta que vai nos ajudar”, relata.

As unidades de referência agroecológicas ficarão nas localidades de Rancho Alegre e Cerrado e as de produção de leite serão no Rancho Alegre e Faxinal dos Empossados.

Galeria de fotos


Compartilhe nas redes sociais: