Notícias: Bailarinas de Tibagi estão classificadas para etapa Argentina

on 04/06/2018 - 20:12 181 reads Bailarinas de Tibagi estão classificadas para etapa Argentina


As bailarinas da escola Municipal de Dança participaram neste final de semana, em Florianópolis, da etapa sulamericana do Torneo Universal de Dança e conseguiram a classificação para a etapa final em Córdoba, Argentina, em novembro.





As jovens bailarinas disputaram junto com representantes da Argentina, Uruguai, Rio de Janeiro, Santa Catarina e também de outras cidades do Paraná. Além da classificação para a fase final da competição elas também trouxeram várias premiações para Tibagi, 45 medalhas ao todo.



Na categoria ritmos brasileiros, a equipe juvenil trouxe uma prata e um ouro e no jazz contemporâneo, a equipe infantil voltou com uma prata e um bronze.

Na categoria afro as meninas conquistaram a pontuação a máxima. O figurino afro também foi premiado como o melhor de toda a competição. “Usamos este figurino já há uns cinco anos e foi muito comentado. Todo o conjunto, a maquiagem, as pinturas corporais, o cabelo. Todos elogiaram muito”, comentou Ana Karina, bailarina, coreógrafa e professora do grupo. Ela ainda ministrou um workshop de dança afro e já garantiu participação como uma das professoras da edição de 2019, em Florianópolis. “Foram mais de 180 pessoas na minha aula. Foi muito gratificante. Pelo resultado que deu já me chamaram para dar aula no evento do ano que vem em, e agora estou concorrendo com outros professores para fazer um workshop na Argentina”, disse.



Para a professora, o resultado mostra o trabalho e o esforço de toda a equipe e fica ainda importante por ter vindo de uma escola pública e gratuita. “O nosso diferencial é que somos do setor público. Foi a primeira escola Pública a ir pra Joinvile. A única escola pública a estar no evento em Florianópolis. Algumas estão comigo há cinco anos, algumas são dos distritos, e vão vir uma vez por semana para cidade para ensaiar junto com todo mundo. Então é um trabalho que precisa de atenção, dedicação. É um grande esforço para elas e para nós, que precisamos garantir que elas continuem fazendo dança”, assinalou.


Vanessa Sato, uma das mães que acompanhou o grupo, diz que o balé fez sua filha, Mariana, 10 anos, vencer muitas barreiras. "Elas tem uma intensa rotina de ensaios que é conciliada com a escola. Graças ao balé minha filha venceu a timidez. A competição foi emocionante, as meninas estavam nervosas e a doçura da professora Ana Karina foi essencial para as conquistas", disse.
Viviane Martins, mãe de Isabelli, de 12 anos, destaca a luta das mães junto com as meninas. "A sensação da conquista é inexplicável. As mães batalharam para a viagem acontecer. Com a greve e crise dos combustíveis houve o medo de não conseguir ir e ver os resultados foi maravilhoso", afirmou.


A Escola Municipal de Dança oferece aulas gratuitas de balé, jazz e afro jazz, para meninas e meninos a partir de quatro anos. De acordo com a professora Ana Karina, é uma das únicas escolas públicas e gratuitas, da região, que levam alunas para competições de nível internacional.

Texto: Assessoria de Comunicação
Imagens: Divulgação