Notícias: Aconteceu! Prédio da Prefeitura já foi Seminário

on 12/04/2013 - 14:14 3498 reads Há 17 anos sedia o Poder Público Municipal

Que Tibagi guarda muitas histórias, muita gente já sabe. Por isso o Museu Histórico Desembargador Edmundo Mercer Junior revela semanalmente traços importantes da vida da cidade. Hoje é a vez de conhecer a história de um dos prédios mais imponentes de Tibagi que atualmente abriga a sede administrativa da Prefeitura Municipal. Há 17 anos sedia o Poder Público, mas por mais de 50 anos foi Seminário dos Padres Redentoristas.



No início, em 1851, com a chegada do primeiro vigário de Tibagi, Frei Gaudêncio de Gênova, enquanto preparava e recebia doações para a construção da igreja, o frei construiu a sua residência de estuque de barro pisado, próximo à capela, onde hoje é a Praça da Matriz. Alí residiu por alguns anos.



Em outubro de 1874, o Padre Pedro Del Gaudio foi até Antonina para buscar dois pedreiros e um servente a fim de continuar com as obras da Matriz. Durante os sete anos do seu vicariato, Padre Del Gaudio construiu próximo à Igreja a sua casa residencial. Anos mais tarde, a moradia foi adquirida pela família Mercer, que a fez berço de muitos filhos e depois passou a ser a residência do deputado Guataçara Borba Carneiro.



Já na década de 20, uma nova casa paroquial foi construída próxima ao antigo prédio da prefeitura e do fórum. Em 1934 chegou ao município a Congregação dos Padres Redentoristas, sendo o primeiro pároco, Padre Francisco Xavier Dotzler, americando da Província dos Padres Redentorista de Baltimore, nos Estados Unidos. Por sua intervenção, demoliram a casa antiga e no mesmo local foi construído um moderno edifício onde serviu por longos anos como Mosteiro dos Padres e Seminaristas. A obra foi de responsabilidade técnica do engenheiro Max Staudacher.



Em 18 de março de 1996 foi inaugurado o Palácio dos Diamantes, a nova sede administrativa da Prefeitura de Tibagi. O prédio foi adquirido na administração do prefeito José Tibagy de Mello e foi feita em modo de permuta com a Paróquia Nossa Senhora dos Remédios, na época já dirigida pela Congregação dos Padres Diocesanos.



Quem foi Max Staudacher

Nascido na cidade de Aalen Wurtemberg, Alemanha, em 29 de julho de 1911. Foi o único dos dez irmãos que deixou seu país em busca de perspectivas melhores em terras distantes, já que seus pais de origem humilde passavam por grandes dificuldades econômicas e sociais. Outro fator foi que a região oferecia limitadas possibilidades aos jovens que buscavam a realização de seus ideais.

Após concluir seu curso de construtor civil, decidiu em 1930 imigrar para o Brasil, onde acreditava poder realizar seus projetos sociais. No inicio da década de 30, em razão da situação política reinante no Brasil iniciou seus trabalhos na construção civil em pequenas obras, edificadas em cidades do interior.

Em pouco tempo estabeleceu vínculos profissionais e de amizade com os padres redentoristas, de origem norte americana, cuja ordem vinha se estabelecendo em várias regiões do Brasil, principalmente no centro-oeste e centro-sul. Foi nesse momento através da Ordem dos Redentoristas que obteve o reconhecimento dos seus trabalhos arquitetônicos e como supervisor na execução de obras por ele projetada. Em vista disso existem construções suas localizadas em Pires do Rio e Anápolis em Goiás, Ponta Porã e Aquidauana em Mato Grosso. Destacando-se em Tibagi a construção do Seminário (Mosteiro) dos Padres Redentoristas.

Por volta de 1945 foi morar em Ponta Grossa onde passou a prestar serviço técnicos a então Cia. Prada Energia Elétrica. Também nessa cidade construiu a igreja, a casa dos padres e o colégio de Nova Rússia. Em 1948 foi convidado por Horácio Klabin a fixar residência em Lagoa onde fez seus trabalhos para as indústrias Klabin, projetando uma série de obras comunitárias.

Em meados da década de 50, desenvolveu o projeto da cidade nova, hoje município de Telêmaco Borba. Foi executor das obras de expansão da Usina de Mauá e do Bonde Aéreo que faz ligação entre Harmonia e Telêmaco Borba. Como funcionário da indústrias Klabin do Paraná realizou trabalhos de planejamento, edificação e construções na esfera administrativa local.

Em 28 de agosto de 1980 aos 69 anos de idade, no pleno exercício de suas atividades, faleceu em trágico acidente de trânsito em Curitiba.


Aconteceu!

Para valorizar o acervo do Museu e divulgar os acontecimentos que fizeram história em Tibagi, toda semana o diretor Neri Assunção, em parceria com a Assessoria de Comunicação da Prefeitura, desenvolve textos que relatam fatos marcantes na coluna Aconteceu!, no site (www.tibagi.pr.gov.br).

O Museu Histórico oferece trabalhos desenvolvidos em pesquisas e exposições temporárias. Permanece aberto de terça à sexta-feira das 8 horas às 11h30 e das 13 horas às 17h30. Sábados e domingos, a visitação pode ser feita das 9 horas às 11h30 e das 13h30 às 17 horas. Para agendamento, o telefone é (42) 3916-2189. A entrada é franca.

Texto: Assessoria de Comunicação
Pesquisa: Nery Aparecido de Assunção
Fonte: Museu Histórico Desembargador Edmundo Mercer Junior / Andre Miguel Coraiola / Jornal do Povo