Notícias: Hemepar coletou 518 bolsas de sangue em Tibagi em 2010

on 16/12/2010 - 16:43 905 reads Nos dois dias de coleta de sangue em Tibagi nesta semana, o Centro de Hematologia e Hemoterapia do Paraná (Hemepar) arrecadou 174 bolsas. Esta foi a terceira etapa em 2010, que fechou com 518 doações, bem mais que em 2009, quando foram 440 bolsas. A coleta é realizada há 20 anos na cidade e conta com parceria do Hospital Luiza Borba Carneiro (HLBC).




Segundo Nilse Romel, diretora do Hospital, os tibagianos mostraram que são muito solidários. “Em maio foram 156 bolsas, em agosto 188 e mais 174 agora em dezembro. É um montante muito bom”, considera.



Jair dos Santos trabalha na lavoura e não mediu esforços para contribuir mais uma vez com a doação. “Participo toda campanha. Gosto de ajudar as pessoas. Imagino que alguém está precisando e a gente pode servir”, disse. Cintia Munhóz, funcionária pública, aguardava sua primeira vez para doar sangue e completou: “Não custa nada e a gente pode salvar uma vida”. Mais que uma. Segundo o Hemepar, os 400 ml retirados de cada doador podem ser úteis a até quatro pacientes.



Cintia aproveitou para se cadastrar no Redome, o cadastro nacional de doadores de medula óssea. “A gente vê o apelo nos meios de comunicação por conta da dificuldade de encontrar doador compatível”, argumentou.



De acordo com Nilse, o destaque nesta edição da campanha foi a mobilização de uma empresa que convidou seus funcionários a doar. “A Agropecuária Tibagi enviou trabalhadores das fazendas. É interessante porque parte da iniciativa de uma liderança”, avalia.

O responsável pela motivação do grupo é Leonel Ribeiro dos Santos, que propôs a participação dos trabalhadores e obteve resposta positiva. “De aproximadamente 60 pessoas, 30 que tinham condições para doar aceitaram o convite”, revela. Dois deles eram o casal Tatiane Marchinski e Edimar Gregório Lopes, que fizeram a boa ação juntos. “Eu doei pela primeira vez, achei legal. Penso que um dia posso precisar, assim como meu irmão já precisou. Vou continuar doando quando tiver campanha”, relata a moça. “Eu já doei várias vezes e aproveitei para fazer inscrição para doar medula óssea. Se puder salvar uma vida vai ser muito bom”, frisa Edimar.



Todos os voluntários, antes da doação, preenchem cadastro onde respondem a perguntas sobre sua condição de saúde, assegurando critérios exigidos para ser doador. Passam ainda por rápido teste que detecta anemia e respondem aos questionamentos de uma enfermeira, para também garantir que podem doar sangue. Sete profissionais do Hemepar se deslocam até Tibagi em cada campanha. Eles estão três vezes por semana fora da central em Curitiba em busca de doadores em outras cidades.



A chefe da assessoria de suporte ao usuário do Hemepar, Neli Coimbra, comenta que nesta época as campanhas são essenciais. “Estamos chegando ao final do ano, feriados prolongados, natal, ano novo e as férias que vêm na sequência. Nesse período normalmente diminui o número de doadores e aumenta a demanda do sangue, porque também é nesse período que acontecem os maiores acidentes”.



Texto: Emanoelle Wisnievski
Imagens: Christian Camargo