Notícias: Tibagianos eleitos marcam história do Paraná

on 08/10/2010 - 17:22 3720 reads Desde a instalação da Assembleia do Paraná, por Lei Imperial de 19 de dezembro de 1853, vários tibagianos já passaram pela Casa e marcaram a história política do Estado. Alguns personagens são ainda hoje lembrados em nomes de ruas e até de cidade, como Telêmaco Borba, Almeida Taques, Guataçara Borba Carneiro e Edmundo Alberto Mercer, entre outros ilustres nascidos em Tibagi que ocuparam cadeiras no Legislativo e Executivo paranaense, além da Prefeitura local. Vários registros estão presentes no Museu Histórico Desembargador Edmundo Mercer Júnior.

O primeiro nome de destaque do município na Assembleia, no ano seguinte da sua fundação que desvinculava o Paraná da Província de São Paulo, foi do coronel José Borges de Almeida Taques. O coronel Juca Taques, como era conhecido o fazendeiro, tornou-se deputado da Assembleia Legislativa Provincial em 12 de julho de 1854. Da princesa Isabel, então regente do Império do Brasil, Juca recebeu Honrosa Comenda da Ordem Rosa. De 1874 a 1875, Almeida Taques foi reconduzido ao cargo, tornando-se comendador.

No biênio seguinte, de 1876 a 1877, foi eleito deputado na mesma Casa o tenente coronel José Florentino de Sá Bittencourt, nascido no Guartelá.

A vida pública desde aquela época já costumava apresentar traços de hereditariedade no gosto pela política. De 1897 a 1899, coronel José Borges de Almeida Taques Filho tornou-se deputado do Congresso Legislativo Estadual.

Em seguida, Joaquim Floriano do Espírito Santo assumiu cadeira no Congresso Legislativo Estadual entre 1900 e 1901.

Em 1920, foram eleitos representando Tibagi os deputados coronel Frederico Mascarenhas Martins, com 7.515 votos, e coronel Rogério Morosini Borba (irmão de Telêmaco), com 7.493 votos. Frederico foi re-eleito para os biênios 1921 – 1922, 1923 – 1924 e 1926 – 1927. Teve em 1920 o total de 3.760 votos e em 1925, 8.648 aprovações nas urnas. Morreu em 1926 em pleno mandato, quando era também presidente do Diretório local do Partido Republicano Paranaense.



Leopoldo Leonel de Sá Mercer foi outro tibagiano que se tornou deputado estadual para legislar entre 1927 e 1928. A praça central da cidade, em frente à Igreja Matriz, leva seu nome.



O agrimensor Edmundo Alberto Mercer teve a expressiva votação de 20.912 confirmações em 1927, sendo diplomado em 1928 e re-leito em 1929 com ainda maior aprovação: 25.013 votos. Permaneceu na Casa de Leis até 1930, quando o Congresso Legislativo Estadual foi extinto pela Revolução e ele retornou a Tibagi.

Telêmaco Borba



Tibagiano de maior destaque que iniciou sua carreira na Assembleia Provincial do Paraná, em 1882, foi o coronel Telêmaco Morosini Borba. Tão relevante foi sua vida pública, durante 12 anos como Legislador, que Telêmaco Borba mais tarde foi homenageado nomeando a cidade que desmembrou-se de Tibagi, na região de Monte Alegre.

Ele foi várias vezes re-eleito na Casa que agora se chamava Congresso Legislativo Estadual. Legislou nos biênios 1897 – 1898 e 1904 – 1905. Nova eleição foi feita em 1909, quando Telêmaco conquistou 11.519 votos para a cadeira no Legislativo no biênio 1910 – 1911. No próximo biênio, conseguiu 11.964 votos e se manteve no posto.

Entre 1913 e 1916 dividia seu tempo entre o Congresso e a Prefeitura de Tibagi, quando se tornou prefeito. “Nessa época ele enfrentava o desafio de ir e vir a Curitiba, quando as estradas não ajudavam e os meios de comunicação eram precários”, comenta Neri Aparecido Assunção, diretor do Museu Histórico. Novamente foi eleito para o biênio de 1914 – 1915 como deputado quando obteve 15.137 votos e no biênio 1916 – 1917, conquistando 12.966 votos. Durante toda a trajetória, ocupou várias vezes o cargo de prefeito de Tibagi.

Guataçara



Por 16 anos, o tibagiano Guataçara Borba Carneiro ocupou importantes cargos na vida pública política do Estado. Deputado estadual eleito com 1.455 votos em 1947 pelo Partido Democrático Social, líder da bancada do governo estadual na Assembleia, não demorou dois anos para ser presidente, cargo que representava na época o de vice-governador. Tornava-se governador interino do Paraná sempre que se ausentava Moisés Lupion. Nesta época, recebeu a visita do escritor Érico Veríssimo.

Guata é re-eleito em 1950 com 2.918 votos; em 1954 com 3.413 votos e em 1958 com 8.988 votos. Seu mandato expirou em 1963, quando voltou a assumir o governo do Estado.

Foi prefeito de Tibagi por três vezes e teve alto prestígio no Estado. Conquistou, entre muitas outras obras, a construção do Hospital Luiza Borba Carneiro em Tibagi. A estrada entre Castro e Tibagi, PR-340, mais tarde pavimentada, leva seu nome.


Texto: Emanoelle Wisnievski
Pesquisa: Neri Aparecido Assunção/Livro: Teu nome é historia, de Nilzamira Cunha

Imagens: Christian Camargo e Arquivo Museu Histórico Desembargador Edmundo Mercer Júnior